sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Me acostumei com o fim. E que esse fim não corroa o meu corpo.
Que ele venha depressa como quem não quer nada, e faça o que precisa fazer.
Pelo simples fato de que já sei como será.
A minha alma não vai se salvar.
Eu não tenho mais o que fazer nem como fazer.
Que seja direto, que não tenha pena.


domingo, 28 de outubro de 2012

Na janela do meu mundo


Lembro-me como se fosse hoje, do café da manhã...
Da manha que eu fazia lutando para faltar da escola, das vezes em que juntava meu diário e nada tinha a escrever, a não ser que fui, voltei, comi e assisti TV. 
Bons tempos em que os únicos sentimentos conhecidos por mim eram o amor que supostamente recebia das pessoas. Do afeto para com meus colegas, dos meus ursinhos e da bola que eu chutava com meus pés descalços a tarde. 
Bons tempos em que o sol não era problema, bons tempos quando não reclamava de nada, não sentia dor, nem decepções. Época maravilhosa em que passava os finais de ano dançando com minhas primas e minha irmã, sem ter vergonha, sem entender palavras de duplo sentido. 
O tempo passou e muita coisa mudou não é? Muitas coisas guardo e de pouca coisa me orgulho, apenas o suficiente para me manter viva, porém, como sempre, mantenho meus sentimentos totalmente instáveis e intensamente frágeis. 
Na ligeira arte de acertar, errei muito; nos intensos borrões que cometi, foi exatamente tentando apagar certas atitudes minhas, certos caminhos que deram errado. Voltei atrás? Sim, muitas vezes, mas não me arrependo de ter traçado um caminho longo, ás vezes precisamos seguir a diante, mas sempre surgirá alguma esquina ou um quarteirão mais interessante. Nos dramas que vivi, ganhei a certeza de que as lágrimas são dores transbordantes no peito de quem sofre.
Sem mais, vivi e ainda vivo coisas incríveis ao lado de pessoas mais incríveis ainda. Sofri, chorei, mas ganhei um presente dos céus: A arte de superar e a força que me mantém em pé, mesmo fraca e sem vida. Porque os dias são como gotas de água corrente, ela segue, prossegue e some mas nunca será esquecida, a vida é uma necessidade assim como ar, mas respirar não quer dizer viver, viver vai além de acordar todos os dias e sim adquirir paz de espirito e motivos para continuar.
Ainda moro com meus pais, mas tenho um amor em meu peito. Ainda gosto dos mesmos filmes e das minhas bandas preferidas. As vezes sou doce, as vezes fria, mas costumo ser aquilo que a vida pede, aquilo que Deus deseja e aquilo que meus passos imploram para ser. 

terça-feira, 19 de junho de 2012

Um fato marcante é aquele constante em dezenas de pensamentos comuns. Talvez a liberdade seja algo muito confuso. Ninguém é livre totalmente a ponto de simplesmente fazer o que quiser entre besteiras, bebidas,tragos ou outra coisa qualquer.
Todo mundo se prende a algo ou alguém, quando quer partir ao mesmo tempo quer ficar ou nem se quer sabe o que quer. Todos nós temos motivos para ir e não olhar para trás quando o sangue sobe e a dor chega. Mas quando nos acalmamos percebemos que a melhor saída não é fugir, é se sustentar emocionalmente e vencer aquilo que te rompe.


quinta-feira, 31 de maio de 2012

Um biscoito, uma canção, uma ilusão.


Percebi que não quero caminhos corretos, daqueles que você sempre sabe onde se deve ir.
Quero ir com você por lugares onde ninguém consegue ver qualquer sinal, pois, na verdade nos caminhos fáceis nos encontrariam depressa.
Durante muito tempo algumas palavras já não faziam muito sentido e na verdade, eu nem se quer acreditava nelas, mas você chegou e mudou as cores,
eu jamais me imaginaria nesse momento vivendo algo diferente.
Quisera eu voar e te contar segredos, em dividir o mesmo colchão ou o mesmo cobertor...A mesma vida e completar os espaços vazios da madrugada.
As vezes sinto que...Mais nada, e vou dormir. As vezes largo a TV ligada para que a casa não fique inteira preenchida de silêncio.As vezes sonho com você, e de alguma forma eu rezo em sonho para não acordar, para que minha alegria permaneça, as vezes choro de desespero por falta do seu olhar.
Minha alma não é alma se não te carrego aqui,se não te sinto calmamente em meus braços, se o sorriso não chega a mim...Porque a saudade chega firme e a tristeza nunca quer partir.Perdi todas as razões quando você se foi e não voltou, quando me senti inteira acomodada em um canto escuro sem querer sair.
Da tua boca eu quero tudo, ouvir e sentir, do seu sorriso eu só quero um, o verdadeiro.
Das canções quero palavras que descrevam tudo o que vivi e o que sinto, do silêncio eu desejo não ter ouvidos, do medo eu só quero a certeza de não existir.
Não quero partir, odeio despedidas, não quero que entendam nem que desfaçam planos, só quero encontrar um lugar onde eu encontre você, e enquanto isso não acontece,volto a percorrer caminhos fáceis, para que você me encontre rápido e continue a andar comigo para o lado mais difícil.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Meus dias andam difíceis. Na realidade eu mal sei como ainda estou aqui, suportando tudo e demonstrando que nada disso me abala.
Já faz tempo que a pulsação mudou, que a respiração não é a mesma e que minha vontade de comer desapareceu...Faz tempo que não penso em mim e que não sei o que é sorrir.A maior verdade é que desde o inicio eu nunca me importei, porém, tudo chegou a um ponto muito alto, o extremo do problema.
Talvez minha depressão tenha retornado, sinto medo do tempo, das pessoas e do mundo inteiro conspirando contra mim.
Eu sinto falta de amar sem acreditar em sorte ou azar. Hoje acredito que o meu quarto é mais acolhedor do que um abraço que precisa ser frio, mas que não quer ser.
- Eu só lamento. Lamento não ter você aqui para fazer a diferença em minha vida.
Apesar que...Aqui ou lá, você é a minha vida.

domingo, 13 de maio de 2012

 Coisas vãs, bobagens



Bela noite um pouco fria para escrever, na realidade meu foco principal sempre foi o "Sentir" e não o "Ser" , porém hoje será diferente. 
Bom, nasci em 12 de Setembro de 1993.Os anjos me trouxeram a terra com uma missão especial da qual busco realizar a cada despertar dos meus dias. Bobagem? Talvez, muitas pessoas jamais entenderiam e na realidade eu não me esforço nenhum pouco para que compreendam; apenas estou aqui para viver na correnteza, levando a vida com o vento...Vou onde ele soprar, sou daqui e não sou.
O dom da musica surgiu através do meu pai. Durante anos ele se apresentou em vários lugares de Sorocaba com meu tio, portanto, fui criada assim em meio a caixas, cabos, microfones e instrumentos...Foi ai então que ganhei de presente uma violinha, dessas que qualquer criança pequena ganha dos pais, porém a brincadeira pra mim era séria, aprendi vários acordes e logo em seguida ganhei meu primeiro violão. Nessa altura do campeonato ninguém mais poderia impedir, esse era o meu lugar.  
Graças a minha irmã mais velha conheci o Rock aos 7 anos, foi paixão, foi amor, devoção...Simplesmente tudo, me encaixei e pude perceber que era exatamente tudo aquilo que eu queria.
Com 11 anos comecei minhas aulas de violão, os primeiros acordes e o sonho cada vez mais evidente em meu olhar, a voz cada vez mais forte e desenvolvida, surgindo então as primeiras composições, as primeiras cartas e obvio, os primeiros amores, desilusões e feridas incuráveis dentro de mim. As palavras reprimidas, as lágrimas escondidas e as musicas depressivas no final da tarde...Tudo isso acarretou milhares de versos e o maior aprofundamento musical da minha parte.
Os primeiros erros, os arrependimentos e a depressão foram causas de alguns anos de desistência, de projetos, bandas que não deram certo...De cortes profundos na pele, de doses e mais doses de vazio e inquietação. Porém quanto mais o sol desaparecia pra mim, mais eu contemplava a lua e escrevia, escrevia...Buscava muitas vezes o que eu nem sabia, mas havia algo lá, no fim em um canto qualquer.
Depois de tantas coisas vividas, passei a modificar meu estilo a cada dia como forma de me encaixar melhor dentro daquilo que realmente sou e mostrar aquilo que existe dentro de todos nós. Aprendi com o tempo que nada dura para sempre e tudo tem um motivo para estar acontecendo, aprendi que o desanimo ou os problemas não estão vivos em sua pele para te destruir mais para crescer sua fé e esperança e que por mais dores que você sinta, não caia aos pés das pessoas, se fortaleça, mate seus leões e os pendure como simbolo de vitória.
Não sei como será meu futuro, não sei se meus sonhos serão realizados, não sei se a Sigma realmente chegará em algum lugar, porém independente do resultado, jamais irei me arrepender de tudo o que fiz, eu faria novamente, eu lutaria mais uma vez. 
E quanto ao amor? Ele é real e vive em nós como ar representando nossas vidas. Ele é sangue puro em minhas veias e a inspiração para cada palavra dita em minhas canções, e é o que me mantem viva como ser significante ou aquela que pretende algum dia fazer diferença ao mundo. O amor é aquilo que faz tudo se modificar a cada dia dentro de mim e perceber que para cultiva-lo, é preciso amadurecer aquilo que vivemos e somos. Faze-lo durar para sempre e conseguir eterniza-lo no tempo das lembranças mantendo aceso aquilo que foi vivido intensamente, aquele amor que te fez perceber o que realmente importa e aquilo que realmente vale a pena.
Amar? Eu amo...Amo muito. Viver? Vivi coisas maravilhosas...Sorri? Talvez menos do que chorei, mas sei que tudo até aqui me tornou alvo do tempo e dos sonhos. Quem sou eu? 

Eu sou o vento. Estou aqui só de passagem...Mas o pouco que ficarei, será para ninguém esquecer.

sábado, 28 de abril de 2012

Aqueles Eram Os Dias Das Nossas Vidas 

(These are the days of our lives) QUEEN

 

 

   

 

As vezes eu sinto
Que eu voltei para os velhos tempos - há muito tempo...
Quando nós éramos crianças e éramos jovens
As coisas pareciam tão perfeitas! - você sabe
Os dias eram intermináveis, nós éramos malucos, nós éramos jovens
O sol estava sempre brilhando - nós vivíamos para nos divertir
As vezes parece como recentemente - não sei...
O resto da minha vida tem sido apenas um show.

Aqueles eram os dias das nossas vidas
As coisas ruins na vida eram tão poucas
Aqueles dias já se foram, mas uma coisa é certa
Quando eu olho eu vejo que ainda te amo

Você não pode voltar o relógio,
Você não pode voltar a maré,isso não é uma vergonha?
Eu gostaria de voltar e dar uma andada na montanha russa
Na época em que a vida era apenas um jogo
Em que não costumava ficar pensando naquilo que fiz
Em que você podia deitar e se divertir com as crianças
As vezes parece como recentemente, não sei...
Melhor me recostar e ir com a correnteza

Porque esses são os dias da minha vida
Que se foram com fluidez do tempo
Esses dias já se foram, mas uma coisa permanece
Quando eu olho não encontro mudança

Aqueles foram os dias de nossas vidas - sim
As coisas ruins na vida eram tão poucas
Aqueles dias já se foram, mas uma coisa é certa...
Quando eu olho eu vejo que
Ainda te amo

Ainda te amo